Um pensamento social do rap: A política decolonial do conhecimento na cultura hip-hop em contexto de genocídio antinegro

Autores

  • Lázaro de Souza Barbosa Universidade Estadual de Feira de Santana

Palavras-chave:

Decolonialidade, Movimento Social, Educação, Saberes

Resumo

Este trabalho promove uma discussão a respeito da fabricação e difusão de conhecimento a partir da cultura hip-hop, em específico do rap no contexto de genocídio antinegro no Brasil. Centrado num referencial teórico dos estudos decoloniais, foi possível localizar no rap a configuração de um pensamento social de ordem antigenocida, colocando em relevo as dimensões epistemológicas das experiências que ritmam o cotidiano da juventude negra. Sendo assim, destacam-se aqui, por meio do diálogo com os estudos de Joaze Bernardino Costa e Nilma Lino Gomes, os protagonismos e programas comunitários nos processos de construções de conhecimentos que agregam na ecologia de saberes do povo negro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lázaro de Souza Barbosa, Universidade Estadual de Feira de Santana

Graduado em História pela Universidade Estadual de Feira de Santana/BA. Professor do Projeto de Educação Popular Malungos em Anguera/BA

Publicado

24-11-2021

Como Citar

de Souza Barbosa, L. (2021). Um pensamento social do rap: A política decolonial do conhecimento na cultura hip-hop em contexto de genocídio antinegro. Revista Abehache, (19), 128–137. Recuperado de https://revistaabehache.com/ojs/index.php/abehache/article/view/370