Antiguidades mexicanas de Francisco Javier Clavijero e Antiguidade da América de José de Alencar: a história das culturas indígenas como representação de identidades literárias no México e no Brasil no século XIX.

Autores

  • Francisco Lima Baca Lima Baca UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA

Resumo

A acepção das antiguidades brasileiras (americanas) e mexicanas, estabelece um diálogo entre duas realidades no século XIX: a brasileira e a mexicana. No caso mexicano, o historiador Francisco Javier Clavijero definiu o conceito “antiguidade” para interpretar o contexto histórico das antigas culturas indígenas para criar a semente de uma identidade cultural, histórica e literária que mostrasse a origem de uma sociedade complexa e a sua herança. No caso brasileiro José de Alencar, escreveu um texto chamado: Antiguidade da América. Nesse documento o autor define a mesma categoria de Francisco Javier Clavijero para desenvolver um projeto literário complexo a partir da interpretação histórica e do vínculo entre as expressões brasileiras e americanas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-09-22

Como Citar

Lima Baca, F. (2020). Antiguidades mexicanas de Francisco Javier Clavijero e Antiguidade da América de José de Alencar: a história das culturas indígenas como representação de identidades literárias no México e no Brasil no século XIX . Revista Abehache, (17). Recuperado de https://revistaabehache.com/ojs/index.php/abehache/article/view/311